Livro - Estrada - Mil Shows do Melvin - FRETE GRATIS

R$ 60,00
R$ 60,00
R$ 60,00

Com uma olhar atento e uma escrita precisa, Melvin transforma a história dos seus mil shows como músico independente num relato amplo do cenário musical que faz parte desde os anos 90. Histórias mirabolantes e situações pitorescas se misturam a relatos afetivos sobre casas de shows que o marcaram e diários de turnês Brasil afora (e adentro) e pelo mundo.

"Melvin encarna o espírito rock n'roll em sua mais alta hierarquia! Obstinado. Guerreiro. Inspirador!"

Henrique Badke (Carbona, Barneys)

"Melvin é um dos caras mais incríveis que a música brasileira já produziu. Uma espécie de Forrest Gump do rock nacional.

Maior orgulho de ser amigo desse cara.

E se você quer conhecer música de verdade feito por um músico de verdade, leia esse livro."

Renato Martins (Acabou La Tequila, Lafayette & os Tremendões, Florais de Bar, Canastra)

“Nunca chamei o nosso Miguel de Melvin! Mas sempre o chamei para combater o mal quando as trevas dominavam a Terra.”

Carlos Lopes (Mustang, Usina Le Blond, Dorsal Atlântica)

"O Melvin, além de ser um Carbona, é um camarada. Aquele tipo de músico que, quando você tá numa roubada e precisa de alguém pra tocar, você chama ele. Se ele estiver disponível, vai na boa e toca pra caramba!"

Wander Wildner

"Participei do show 1.000 do Melvin! Não foi o primeiro; na época do show dei uma olhada na lista que ele fez e vi que toquei em cerca de 50 deles (hoje esse número já é maior). Desde o primeiro, com o Los Hermanos (em Juiz de Fora, 2002), até o mais recente, que não faço mais idéia qual foi, tocamos com Wander Wildner, assumimos baixo e bateria do Acabou la Tequila, revisitamos o Los Hermanos com duas turnês tocando os discos "Ventura" e "Bloco do Eu Sozinho", Belchior tocando o disco "Alucinação", Paralamas com o "Bora Bora". E por último fui convocado pra assumir a bateria do seu projeto solo! Nesses anos todos aprendi que se o Melvin está não tem como dar errado! Na pior das hipóteses vai ser um boa história!"

Rodrigo Barba (Melvin & os Inoxidáveis, Acabou La Tequila, Los Hermanos)

“Muitas vezes vejo pessoas comparando ou analisando amigos músicos. Bem, MIGUEL é um ótimo músico, ninguém tem dúvidas quanto a isso, mas várias outras qualidades descobri quando tocamos juntos. Dono de um humor sarcástico, ele consegue por vezes transformar um ambiente pesado em leve, contorna situações adversas, e foi assim que conduziu seu livro. Histórias que poderiam render aborrecimentos ficaram super divertidas e envolventes. Só uma pessoa que chega a 1.000 shows, tendo vivido intensamente e com tanto amor à arte, poderia dar um testemunho de que, apesar dos perrengues, tudo valeu, vale e valerá a pena. Sim, a estrada pode se transformar em uma festa, grande “MELVIN”!!!!”

Fred Castro (Carbona, Raimundos, Autoramas)

"ELVIS IS EVERYWHERE, diz a frase clássica. Mas, quem está em toda a parte mesmo, é o Melvin. Sim. Você o encontra em esquinas, shows, mercadinhos, concertos, feiras, em toda a parte pelo Rio de Janeiro. E, às vezes, não apenas nas plateias de shows gringos ou da cena indie local. Não raras vezes, ele também está lá, no palco! Melvin, é onipresente. Como pode estar em todo lugar ao mesmo tempo?!?

Eu mesmo, em matéria no GLOBO, já disse que ele é o cara que mais trabalha no indie rock carioca, parafraseando o James Brown, que se considerava ‘the hardest working man of soul’. Porque, desde que começou, em sua própria banda, a já lendária Carbona, Melvin também integrou/produziu diversas outras (entre as mais frequentes, Lafayette & Os Tremendões); e, nas horas vagas, ainda encontra tempo para discotecar rock aqui e acolá, como o fez, por longos anos na Sundae Tracks, da Matriz.

Então, se um dia você estiver e algum lugar remoto, tipo o Himalaia, e achar que viu o Melvin, pode acreditar que era ele mesmo"

Tom Leão, jornalista

Google Safe Browsing Formas de pagamento